Translate

quinta-feira, 11 de julho de 2013

SÍMBOLOS MUNICIPAIS DE SANTARÉM



SÍMBOLOS MUNICIPAIS DE SANTARÉM

        A Lei nº 7.186/76, de 18 de junho de 1976, aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo Prefeito Municipal Sr. Paulo Imbiriba Lisboa, criou e regulamentou os Símbolos Municipais de Santarém, tais sejam:
        a) O Brasão Municipal
        b) A Bandeira Municipal
        c) O Hino Municipal
        Essa Lei é bastante extensa e na sua maior parte redigida com o uso de palavras de términologia de heráldica, de não muito fácil compreensão para os que não estiverem familiarizados com tais termos, de forma que faremos a seguir apenas um resumo do que estabelece a referida Lei nº 7.186/76. Ainda assim, há palavras que não podem ser substituídas, por isso que, ao final deste capítulo, daremos um pequeno glossário, visando a facilitar a compreensão.

O BRASÃO MUNICIPAL

        O Brasão Municipal consta de um Escudo Samnítico, encimado pela Coroa Mural de oito torres prateadas, das quais apenas cinco são visíveis em perspectiva no desenho, e iluminadas de vermelho. No campo azul do Escudo há um castelo prateado aberto e iluminado de vermelho, tendo sobre a torre principal um escudete oriundo das armas da cidade portuguesa de Santarém, que teve o topônimo adotado para designar a cidade brasileira. Encimando o Castelo prateado há uma lua crescente e uma flor-de-lis cor de prata, e, ao termo, uma faixa ondeada, também prateada. Na parte externa do escudo há: à direita, um peixe prateado, e à esquerda, uma seringueira com o receptáculo para o látex, ao natural, e abaixo, uma fita vermelha, contendo em letras cor de prata o topônimo “SANTARÉM” ladeado pelos milésimos “1661” e “1758”.

        SIGNIFICADOS
O Escudo Samnítico foi o primeiro estilo de escudo introduzido em Portugal por influência francesa, herdado pela heráldica brasileira como evocativo da raça colonizadora e principal formadora de nossa nacionalidade.
A Coroa Mural que sobrepõe o escudo é o símbolo universal dos brasões e as iluminuras em vermelho representam os predicados próprios dos pioneiros desbravadores e dos dirigentes da comunidade.
O Castelo prateado e iluminado de vermelho lembra o escudo da cidade de Santarém de Portugal e ainda a relíquia histórica do forte construído por Francisco da Costa Falcão, que acompanhou a evolução histórica da Santarém brasileira.
A Lua Crescente e a Flor-de-lis acima do Castelo são o símbolo de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da cidade.
A Faixa ondeada, cor de prata, na parte inferior do Escudo, representa o Rio Tapajós em cuja margem direita ergue-se à cidade.
Nos ornamentos exteriores, o peixe (Pirarucu) lembra a riqueza da fauna ictiológica, a árvore (Seringueira) representa a riqueza nativa e a Fita Vermelha traz o topônimo identificador “SANTARÉM” ladeado pelo milésimo “1661” ano de sua fundação e “1758” data de sua predicação como Vila, com autonomia municipal.

A BANDEIRA MUNICIPAL
        A Bandeira Municipal de Santarém é de autoria da Sociedade Etnográfica e Literária de Santarém e do heraldista Professor Arcinoé Antônio Peixoto de Faria, da Enciclopédia Heráldica Municipalista.
        Consta de duas faixas horizontais, sendo a superior amarela, com sete módulos de largura, e a inferior azul, com igual medida, sendo aplicado sobre ditas faixas, a uma distância de seis módulos da tralha um círculo de oito módulos de circunferência, onde é aplicado o Brasão Municipal.
        A Bandeira Municipal tem como dimensões oficiais 14 (quatorze) módulos de altura por 20 (vinte Módulos de comprimento do retângulo).

        SIGNIFICADOS:
        As faixas nas cores amarelo e azul representam o encontro das águas do Rio Amazonas (amarelo) e do Rio Tapajós (azul). O Círculo branco representa a Cidade-Sede do Município e o Brasão representa o Governo Municipal.

O HINO MUNICIPAL

        O HINO MUNICIPAL DE SANTARÉM já gozava de oficialização anterior à Lei que instituiu os SÍMBOLOS MUNICIPAIS, através da Lei nº 245/71, de 23 de outubro de 1971. A nova Lei, a de nº 7.186/76, de 18 de junho de 1976, apenas incorporou aquela em seu artigo 18, onde se lê: “O HINO MUNICIPAL é o instituído pela Lei Municipal de nº 245/71, de 23 de outubro de 1971, de autoria de PAULO RODRIGUES DOS SANTOS (letra) e WILSON DIAS DA FONSECA (música)”.
        Mas é bom saber que os autores do HINO, ao compô-lo, não tinham em mira estar fazendo Hino de Santarém. A música é do ano de 1941, à qual Paulo Rodrigues dos Santos incorporou uma letra, feita em 1948, para ser cantada durante os festejos do primeiro centenário de elevação de Santarém à categoria de cidade. Só mais tarde (1971) o Legislativo e o Executivo municipais decidiram oficializá-las (letra e música) como HINO MUNICIPAL DE SANTARÉM.
        O nome primitivo da música era simplesmente “SANTARÉM”.

        GLOSSÁRIO:

        Armas emblemas representados num brasão.
        Brasão escudo, insígnia. O brasão compreende as armas pintadas no escudo e também os ornatos exteriores.
        Fauna ictiológica – conjunto de peixes próprios de uma região.
        Heráldica - arte ou ciência dos brasões.
   Módulo - quantidade que se toma como unidade de qualquer medida
        Samnítico - relativo aos samnitas, povo da Itália antiga.
        Topônimo – nome próprio de lugar.
        Tralha – orla do pano que vai junto ao mastro.

Hino de santarém


        Letra: Paulo Rodrigues dos Santos
        Música: Wilson Dias da Fonseca

        Santarém do meu coração!
        Terra mimosa, de paz e de sonhos de amor.
        Santarém do meu coração!
        Lindo jardim, vivaz canteiro do Céu todo em flor.
        Santarém, princesa da luz,
        De praias alvas e Campinas verdes, rio de anil,
        Onde flutuam iaras mil,
        Loucas, ao léu na onda azul.
        Santarém, meu jardim, meu Pará, meu Brasil.

        Flor das margens virentes
        Formosas, ridentes,
        Do meu Tapajós azul
-          Azul como o céu –
Quero cantar meu torrão, Santarém,
Terra de encantos, de amor e de luz,
Onde o Cruzeiro sem véu
Espelha a sombra da Cruz
No Céu.


    
              

Nenhum comentário:

Postar um comentário